Conectado entre o Brasil e as Arábias

                                                                               Foto: Esme Allen Marhaba Pessoal, como estão? Espero que este...

Os árabes dos pântanos

 

                                                                             Foto: Esme Allen


Marhaba Pessoal, como estão? Espero que estejam bem, saudáveis e seguros.

Antes de começar a nossa postagem quero pedir desculpas pela minha ausência  aqui no Brasarábias, 2020 tem sido difícil para todos nós e isso acaba afetando a nossa mente e a nossa vida.

 Hoje vamos falar um pouco sobre os árabes dos pântanos.

Os árabes dos pântanos também conhecidos como Maadans, foram os habitantes da região dos grandes pântanos que ficam entre os rios Tigre e Eufrates, no sul do Iraque. 

Sua origem é incerta e alguns pesquisadores acreditam que eles são descendentes dos sumérios.

A sociedade dos árabes dos pântanos era dividida em dois grupos principais: um grupo criava búfalos e o outro grupo cultivava arroz, cevada e trigo.

As casas eram feitas de junco arqueadas e cada pequena ilha artificial construída com o junco era chamada de  kibasha, já as ilhas mais permanentes também feitas de junco e com camadas de lama eram chamadas de dibim.

O meio de locomoção entre os pântanos era feito com barcos, que são conhecidos como mashoof.

A drenagem dos pântanos e os conflitos com o governo de Saddam Hussein contribuíram para que a população de árabes dos pântanos diminuísse em grande escala, fazendo com que muitos fossem parar em campos de refugiados e se dispersassem para sobreviver. 

Após a queda do governo alguns habitantes dos pântanos tentaram restaurar o local com o objetivo de preservar a sua cultura e história, muitos retornaram para os pântanos, mas não sabem se  algum dia o local vai voltar a abrigar a vida animal que tinha antes ou se o nível do rio vai voltar a ser o mesmo.

E você, já conhecia sobre os árabes dos pântanos? Deixa aqui nos comentários pra gente saber.

Espero que tenham gostado, até a próxima!


0 coment�rios: